Ainda considerado como um tema tabu no Brasil, a desconstrução dos estereótipos masculino e feminino vem sendo trabalhado nas escolas do Québec. O objetivo principal é construir uma sociedade onde homens e mulheres sejam iguais e tenham as mesmas oportunidades e ao mesmo tempo diminuir a desistência escolar.

  • Foi observado que os meninos têm uma tendência maior à abandonar os estudos mais cedo.
  • Os caminhos do abandono e desligamento são influenciados por uma socialização diferente de meninas e meninos.Os alunos que mais aderem a estereótipos sexuais são os que mais abandonam os estudos.
  • As normas sociais fazem com que os meninos sejam menos envolvidos na escola: a imposição da virilidade, a forte preocupação de afirmar-se em relação aos pares e às meninas.
  • Pesquisas recentes mostram que as dificuldades comportamentais e de aprendizagem dos meninos na escola estão relacionadas à construção de sua identidade masculina.

A igualdade entre os sexos no meio escolar

O Governo do Quebec publicou um documento chamado “A igualdade entre os sexos no meio escolar”. É um excelente material baseado em várias pesquisas que busca desconstruir os estereótipos sexuais para diminuir a desistência escolar e mulheres em profissões antes consideradas como masculinas e aumentar o interesse dos rapazes à seguirem estudos nas áreas consideradas como femininas.

O trabalho é de desconstrução dos preconceitos. O corpo docente acredita que as meninas são mais aplicadas e são melhores no francês e os meninos têm preferência por atividades de mobilização e matemática. Desta forma, tornar os professores conscientes dos seus próprios preconceitos em relação aos estereótipos sexistas permite uma abordagem mais neutra na educação de crianças e jovens.

Também é observado que 24% das meninas sofrem de falta de confiança, contra 14% dos meninos.

24% das meninas sofrem com falta de confiança, contra 14% dos meninos

Da forma que o sistema escolar funciona, os alunos que obtêm as melhores notas são os mais valorizados e recompensados. As meninas principalmente acreditam na idéia de que todo o esforço na escola é suficiente para serem recompensadas. No entanto, uma realidade muito diferente as espera no mercado de trabalho. Trabalhar duro é apenas um dos fatores de sucesso, bem como a capacidade de se vender, identificar-se, a ousadia e liderança, entre outros. Por esta razão, é preciso trabalhar igualmente a confiança de todos os jovens, independente do sexo, para desenvolver a capacidade de melhor se apresentar e saber se valorizar.

Reduzir os estereótipos sexuais e sexistas significa promover relações mais igualitárias, promover o pleno potencial dos jovens e alcançar o sucesso.

O Governo do Quebec entende gênero como o processo social e histórico de diferenciação e hierarquização das mulheres e homens, femininos e masculinos. O gênero é social, articulado com outras relações sociais para produzir desigualdades social.

O posicionamento no Brasil

No Brasil as ações do MEC na busca pela igualdade de gêneros nas escolas sempre são muito criticadas pela população. Na cabeça de muitos brasileiros gênero não deve ser discutido na sala de aula. Infelizmente boa parte da população brasileira não vê a busca pela igualdade e respeito como responsabilidade do Estado e sim valores que devem ser dados pelas famílias.

É importante compreender que quando se diz que é importante discutir gênero nas escolas não significa que se desacredite nas diferenças biológicas. As pessoas distorcem o que é ideologia de gênero.

Gênero é formado pela influência socio-cultural (estereótipos), o que é diferente da opção sexual e do sexo feminino e masculino (pênis e vagina). Quando se diz que é importante discutir gênero, não significa que não se acredite na biologia. Significa simplesmente que é preciso desconstruir os estereótipos e ter a compreensão da influência social na formação do gênero. Este texto é bem interessante para uma melhor compreensão do assunto.

Deve-se validar as informações lidas na internet. Validar no site do MEC, pois existe muita mentira sendo divulgada. O MEC nunca distribuiu nenhum material que incita a iniciação sexual precoce ou homossexualidade. O que o MEC procura é desconstruir a idéia de que meninas servem para certas funções e meninos para outras e busca o respeito às diferenças. Mas nas suas tentativas de inserir o assunto nas escolas sempre foi muito criticado pelos conservadores, infelizmente no texto da Base Nacional Comum Curricular sobrou apenas a frase: “a equidade requer que a instituição escolar seja deliberadamente aberta à pluralidade e à diversidade, e que a experiência escolar seja acessível, eficaz e agradável para todos, sem exceção, independentemente de aparência, etnia, religião, sexo ou quaisquer outros atributos, garantindo que todos possam aprender.”

No Brasil ainda é sonho que essa temática tenha o devido espaço no meio escolar, aqui no Canadá é realidade. Isso mostra o quanto o preconceito sobre o assunto impede a sociedade brasileira de avançar na busca da igualdade e respeito.

Luta conta homofobia nas escolas

Além de ser discutida a identidade de gênero nas escolas do Québec, existe também um trabalho de sensibilização e luta contra a homofobia dentro das escolas.

O objetivo da Mesa Nacional de Luta Contra a Homofobia é de promover a discussão nas redes educacionais. Também promove uma melhor compreensão das realidades das pessoas gays, lésbicas, bissexuais, trans e questionando (LGBTQ). Pretende promover valores de respeito, inclusão e aceitação de diversidade sexual e identidade de gênero.

Também procura promover comportamentos e prevenção pacíficos para reduzir e contrariar os fenômenos de bullying, violência, heterossexismo, cissexismo, cyberbullying, homofobia e transfobia experimentados por jovens, em particular na escola e faculdade.

Referências

Gosto de me comunicar de maneira criativa e ajudar imigrantes a melhor se integrarem na sociedade canadense. Conheço os grandes desafios ligados a imigração e estou disposta à compartilhar dicas e meus conhecimentos a fim de facilitar a integração dos recém chegados.