JOB SEARCH: YOU’RE DOING WRONG

Quando você começa a procurar uma recolocação no mercado de trabalho, segue logo os passos básicos de prepara um Résumé e uma Cover Letter. Além disso, arruma seu perfil em sites como LinkedIn, Indeed, Monster, Workopolis. Faz um perfil tão lindo e completo que chega a reluzir.

Seu próximo passo é pesquisar pelas vagas de trabalho disponíveis. Você então seleciona as que se encaixam ao seu perfil. Faz os ajustes na Cover Letter e no Résumé, necessários para que estes sejam específicos para cada vaga que você aplica.

Aí, você liga sua metralhadora de Résumés e começa a disparar cópias digitais (personalizadas) para todas as vagas online que você acredita que valham a pena. Diariamente. E assim passam-se vários dias neste processo. Semanas. Às vezes, meses.

Alguns Résumés por dia e em pouco tempo, você já enviou inúmeros. Você fica, então, esperando as ligações ou email das empresas, convidando para uma entrevista. Afinal de contas, seu perfil é tão bom, perfeito para muitas vagas que você aplicou, que é claro que eles vão te chamar.

No entanto, isso não acontece. Na verdade, você até recebe algumas respostas automáticas, dizendo que alguém com perfil mais adequado foi encontrado para a vaga. De todos as vagas para as quais você aplica, apenas uma quantidade ínfima (menos de 0.5%, segundo estatísticas) se converte em convites para entrevistas – se é que isso acontece.

Quando a resposta não vem

Você começa a ter aquele sentimento de frustração. Parece que os Recruiters olharam seu currículo e acharam que você é um candidato que não os interessa. Você fica achando que seu perfil não é tão bom quanto você pensava ser. Você fica pensando que todos os outros são muito melhores que você. Mas acredite: não é por isso que você não está tendo retorno. O ponto é exatamente outro. Você não está sendo chamado porque está fazendo sua busca por trabalho de forma errada. Ou, dizendo de outra forma: você está focando na tarefa errada. Você está aplicando online para inúmeras vagas quando, na verdade, você deveria concentrar seus esforços em fazer networking.

Esqueça as aplicações online. Não perca tempo com elas. Ou melhor: não perca seu tempo aplicando online se você não conhecer alguém que possa fazer com que seu Résumé chegue até as mãos do gerente responsável pela vaga. Aplicar online sem conhecer ninguém dentro da empresa é perda de tempo em quase 100% dos casos.

Networking

Talvez esta forma de busca de trabalho que eu relatei acima não seja exatamente o seu caso. Mas era assim que eu estava fazendo. Sem retorno. E aí uma amiga me sugeriu conhecer o Career Foundation, um serviço de ajuda para recolocação, aqui em Toronto. Lá eles dão assistência inclusive a residentes temporários, que tenham Work Permit válido – diferente do Access, outro serviço similar, mas que é voltado somente para cidadãos canadenses e residentes permanentes. Foi com a ajuda do Career Foundation que eu percebi que estava fazendo minha busca por trabalho de forma equivocada. Gostei muito do serviço e recomendo.

Quando a gente pensa em networking para arranjar emprego, a primeira coisa que nos vem em mente é que devemos nos apresentar nas empresas e perguntar se eles têm alguma vaga em aberto. E é exatamente neste ponto, nesta forma de abordagem, que devemos ter cuidado.

Se você começar a tentar se conectar às pessoas, usando sua conta do LinkedIn por exemplo, dizendo que você está à procura de trabalho, pouca atenção será dada a você. A forma como você faz essa abordagem é essencial. Você deve pensar o networking de uma forma mais ampla. Não restrinja a construção da sua rede somente a pessoas diretamente relacionadas à sua área de trabalho. Muitas vezes uma oferta de trabalho interessante pode surgir de onde você menos imagina.

Começando tudo do zero

Nós, imigrantes ou residentes temporários, recém-chegados ao Canadá, teremos que fazer nosso networking aqui praticamente do zero. Não conhecemos ninguém. Não temos nossas referências do Brasil. E, por mais difícil que seja aceitar, a realidade é que a maioria das vagas de trabalho é preenchida através do Referral – ou QI, como dizem no Brasil. Isso é fato. E se essa é a realidade, é com ela que devemos lidar.

Para fazer networking, uma excelente ferramenta hoje em dia é o LinkedIn. Entretanto, é preciso ter em mente algumas coisas básicas que podem lhe ajudar a ser bem sucedido nesta tarefa. Nem todos responderão positivamente à sua abordagem, mas fazer a coisa da maneira correta certamente lhe trará melhores resultados.

1. Escolhe alguém com quem você tenha uma conexão em comum

Quando for abordar alguém no LinkedIn, tente fazer conexão com aqueles que estão ligados a você em segundo grau. A probabilidade de aceitação do convite é maior. Apresente-se, enviando uma mensagem personalizada solicitando a conexão (não use a mensagem padrão do LinkedIn). Se você for bastante próximo da pessoa com quem você divide esta conexão, peça para este seu contato de 1º grau “apresentar” você para a pessoa com quem você deseja se conectar. Caso contrário, envie a mensagem diretamente para o contato em 2º grau, dizendo que vocês tem esta conexão em comum e faça sua apresentação: primeiro, demonstre interesse pela empresa e pela pessoa. Em seguida, fale um pouco de você: o que você faz, o que você mais gosta de fazer dentro da sua profissão, por exemplo.

(Se você quiser se conectar com contatos de 3º grau ou mesmo pessoas totalmente fora da sua rede, vá em frente. Apresente-se da mesma maneira, afinal de contas, não custa tentar.)

2. Não pergunte sobre vagas de trabalho

Ao enviar a mensagem solicitando conexão, nunca – nunca mesmo – pergunte se há alguma vaga aberta na empresa. Se não houver vaga, a pessoa vai te responder “não” – e a conversa acaba aí. O mais recomendado para estabelecer uma relação com maiores chances de continuidade é você enviar uma mensagem com pedido de informação: diga que você admira muito a empresa onde a pessoa trabalha, diga que ficou impressionado com o perfil profissional desta pessoa no LinkedIn. Pergunte como foi que ela se desenvolveu na carreira para chegar ao cargo desejado. Com um discurso introdutório nesta linha, a probabilidade de você ser bem-sucedido na sua tentativa é bem maior. Muitas vezes, é através de conexões estabelecidas desta forma que surgem boas oportunidades de trabalho.

3. Participe de eventos na sua área de formação

Uma excelente forma de fazer networking é participar de eventos de associações de classe, Job Fair e eventos gerais das empresas da sua área de atuação. Nestes locais, é preciso mesmo ser cara de pau: chegar, se apresentar, conversar. Nem todos são eventos abertos a público em geral, mas há muitos que são. Aqui, novamente, quando for conversar com alguém, não faça perguntas relativas à contratação. Primeiro, mostre interesse pela empresa e pela carreira profissional do seu interlocutor. Quanto mais interesse você demonstrar pela empresa e pela pessoa com quem conversa, mais interesse eles terão por você. Aproveite também para falar de você, claro, mas contando um pouco da sua experiência, e não, descarregando todo o seu Résumé em cima da pessoa.

Além destes eventos, você pode fazer um trabalho voluntário. Além de enriquecer seu currículo, o voluntariado ajuda a aumentar seu networking.

4. Coffee Chat

Você pode convidar a pessoa para um café, depois de estabelecer contato com este profissional através da rede social. Em geral, estes cafés são conversas rápidas, que não passam muito de 15 minutos. Mas é o tempo que você tem para demonstrar todo seu interesse pela empresa e pelo profissional com quem conversa. Claro, fale também de você. É importante que eles saibam o que você faz, o que mais gosta de fazer, com o que você se identifica na profissão.

Tendo sucesso no seu networking

Quando sua conversa com o profissional da empresa é bem sucedida, você acaba sendo convidado para participar de uma entrevista. O seu entusiasmo e admiração pela empresa e pela pessoa com quem você fala fazem com que eles notem o quão valioso pode ser para a empresa ter um profissional como você em seu quadro de colaboradores. Se depois de tudo isso, ainda assim não acontecer, aí então você pode demonstrar que tem interesse em trabalhar na companhia, para que eles tenham seu nome em mente caso surja uma oportunidade por lá.

Uma consideração que eu gostaria de fazer aqui: em empresas pequenas, muitas vezes funciona você ir até a empresa com o Résumé em mãos para aplicar para as vagas de trabalho. Conheço pessoas que fizeram assim e deram certo. No entanto, algumas empresas maiores não são abertas a te receber caso você não tenha horário marcado. De qualquer forma, você sempre pode tentar.

Da forma como está posto, você pode perguntar: “mas vou esperar o emprego cair no meu colo? Não vou aplicar para vagas online? A maioria esmagadora das empresas hoje em dia pede que os candidatos submetam aplicações via web!” Sim, isso é verdade. E veja: você pode aplicar. Mas é muito, muito importante que você crie sua rede primeiro. Depois que você tiver uma boa rede – e, principalmente, uma rede nas empresas onde você gostaria de trabalhar – você vai acabar recebendo um convite. E se não receber, você pode aplicar para vagas online E pedir para que seu contato na empresa entregue seu Résumé e faça seu referral. O ideal é que este Résumé chegue direto nas mãos do gerente que está contratando, para aumentar suas chances de ser chamado para uma entrevista.

Procurar trabalho dá trabalho

Depois de tudo isso dito, deu para perceber que a busca por trabalho é algo demorado, né? Por isso, você que vem para o Canadá no esquema estudo/trabalho ou que vem com PR, programe-se financeiramente para ficar alguns meses sem trabalhar. Você pode arranjar um primeiro emprego entry level, apenas para pagar suas contas. Mas você deve reservar um tempo do seu dia para fazer networking e, posteriormente, aplicar para vagas na sua área. Lembre-se: look for a job is a full time job. Se você não reservar tempo e dinheiro para trabalhar nesta busca, ela vai acabar demorando bem mais do que você gostaria.

Bem, estas foram as minhas dicas. Espero que elas sejam úteis. Eu, honestamente, ainda estou no processo de colocar tudo isso em prática. Espero ter sucesso em breve para poder compartilhar com vocês. 🙂

E você, que já está trabalhando aqui, conte-nos como fez. Aplicou só online? Fez networking? Como sentiu a receptividade do mercado de trabalho aqui? Deixe suas dicas e sugestões aqui para gente enriquecer o post.

Alguns links interessantes sobre o tema:

Want A New Job? Why You’re Doing It Wrong — And How To Do It Right

How To Use LinkedIn: 5 Smart Steps To Career Success

Recolocação profissional: dificuldades e estratégias

Podeixar #53: Empregos, profissões, Rush, carreira e mais

 

Créditos da Imagem: http://www.swiveltime.com/2012/02/why-i-use-the-n-word-networking.html

Written by Andrea Zotelli

Andrea Zotelli

Formada em Engenharia Civil, vim para o Canadá em busca de novos horizontes. Sou uma pessoa curiosa que adora ler, escrever e participar de debates sobre os mais variados temas. Minha imensa vontade de aprender e trocar experiências acabou me trazendo aqui para o Canada Agora.