Vamos direto ao ponto: muito se fala em fazer College quando o assunto é “imigrar através dos estudos”. Eu mesma falei do assunto neste post aqui. Depois de já ter feito o College, de já estar trabalhando e estar me preparando para aplicar para o PR, tenho uma outra opinião. Hoje considero que o mestrado pode ser o melhor caminho para imigração através dos estudos.

Sim: se o que você procura é se preparar para o mercado de trabalho no Canadá, o College pode ser mesmo a melhor opção. Principalmente, e sobretudo, para aqueles que desejam mudar de área. Se você não tem nenhum conhecimento da área em que deseja atuar, é o College que vai lhe dar essa base – e não um mestrado.

No entanto, muitos querem continuar atuando na mesma área. E mais: muitos trabalham em profissões regulamentadas, que exigem o registro em uma associação, para poder exercer a profissão aqui no Canadá.

Mestrado, engenheiros e P.Eng: uma boa combinação

No caso de engenheiros como eu, a melhor opção para imigrar através dos estudos pode ser o mestrado – principalmente para aqueles que desejam se registrar nas associações de engenheiros para poder exercer a profissão de forma regulamentada no Canadá: o tão famoso P.Eng. (Professional Engineer).

Engenheiros que desejam obter o P.Eng precisam se registrar na associação de engenheiros da província onde atuam. O processo todo pode demorar anos, já que, além de comprovar seus estudos, você tem que fazer provas que atestem seu conhecimento na área. Estas provas são oferecidas duas vezes por ano apenas. O número de provas varia de caso pra caso, mas no máximo são pedidas 3 provas. Além destas, há as provas de ética e legislação, que todos têm que fazer, inclusive quem estudou no Canadá. Estas duas últimas são feitas somente no final de processo. Já as provas de conhecimento são feitas logo no início, para que você possa se tornar um EIT (Engineer in training).

A vantagem de um mestrado na área de formação

A notícia boa é que, se você fizer mestrado na sua área de formação, você pode pular esta etapa das provas de conhecimento e começar logo trabalhando como EIT. (Nota: isso não é regra, já que cada caso é analisado individualmente, mas na maioria das vezes é assim). É um passo e tanto já que, se você obtiver dispensa das provas, isso vai facilitar e encurtar bastante o processo.

Vale, no entanto, ressaltar o seguinte: não ser registrado como P.Eng não te impede de atuar na área. Há muitas, muitas funções nas empresas, na área de engenharia, em que você pode atuar sem P.Eng. O P.Eng é requerido, basicamente, para aqueles que precisam assinar projetos e relatórios. Muitas empresas têm um supervisor/gerente com P.Eng que assina os documentos gerados por outros engenheiros da sua equipe.

Apesar de não ser exigido, ter P.Eng. é considerado um “asset” para muitas vagas em empresas de engenharia. Além disso, ter o P.Eng pode abrir mais portas para o seu crescimento profissional. E ainda: a maioria dos cargos em orgãos do governo exige o P.Eng. Então, se você quiser fazer uma carreira como funcionário público no Canadá, o registro como P.Eng será praticamente obrigatório.

Mestrado é mais difícil que College?

Voltando ao mestrado: do ponto de vista de dificuldade do mestrado propriamente dito, tenho percebido que não muda muito em relação ao College. Na verdade, cheguei a ver vários casos em que o mestrado pareceu ser bem mais tranquilo do que os cursos nos Colleges públicos. Há mestrados mais difíceis, há mestrados mais fáceis. Há mestrados com tese, há mestrados que são course-based, e há mestrados que são project-based. Há mestrados mais caros e há mestrados que são bem mais baratos que College. Enfim: a diversidade é imensa e você certamente vai encontrar algum em que vai se encaixar.

A maior dificuldade que vejo de as pessoas virem fazer mestrado é porque muitos não atendem os requisitos de média final na graduação ou não conseguem atingir o CLB mínimo exigido nos mestrados (IELTS em torno de 6.5 ou 7, geralmente).

No entanto, se você teve uma boa média na sua graduação, considere o mestrado como caminho para imigrar.

Mestrado: boa opção também para outros profissionais

Para os engenheiros, fazer o mestrado é um facilitador para obter o P.Eng. No entanto, para TODOS que querem imigrar através dos estudos, o mestrado pode ser um facilitador para a imigração. O Express Entry dá 50 pontos para quem fez mestrado aqui e apenas 15 pontos para quem fez College de 1 ou 2 anos de duração. Além disso, muitas províncias possuem streams para quem fez mestrado em universidade – e não precisa de job offer: basta terminar o curso e aplicar.

Isso é uma vantagem e tanto, já que obter a job offer num NOC mínimo B pode não ser tão simples. Fora isso, há um empecilho que vi acontecer com algumas pessoas: alguns empregadores não aceitam assinar nenhum papel que seja relacionado a processos de imigração. Veja bem: não é que a empresa esteja se recusando a fazer um processo de LMIA. A empresa se recusa simplesmente a assinar um papel dizendo que você efetivamente trabalha lá. Num caso assim, você fica sem ter como aplicar para o seu processo.

Por isso, se antes eu achava que o College era a melhor opção para quem quer imigrar através dos estudos, hoje eu já considero o mestrado uma alternativa melhor, tendo em mente que o objetivo final é IMIGRAR.

Mercado de trabalho

Um ponto negativo do mestrado é basicamente que o processo de seleção é mais demorado. Por isso, se essa for sua opção, planeje direitinho. Além disso, há alguns mestrados bem disputados, difíceis de conseguir se qualificar. Mas há boas opções em que o acesso não é tão difícil assim, principalmente nas universidades localizadas fora dos grandes centros.

Em relação ao mercado de trabalho, posso dizer que para a maioria das profissões, o que conta é sua experiência profissional. O nome de um College ou Universidade canadense no seu Résumé vai ser o “chamariz” para que você seja convidado para entrevista. No entanto, na hora de te contratar, o que vai contar mesmo é sua experiência anterior. A capacidade de utilizar os seus soft skills no seu novo trabalho também é muito valorizada. Em suma: um diploma canadense vai te ajudar a ser chamado para entrevista, mas sua capacidade de vender seu peixe é o que realmente vai pesar na decisão de te contratarem ou não.

Resumindo

Mestrado: pontos positivos

– dá 50 pontos no Express Entry.

– permite aplicar para alguns processos provinciais sem job offer.

– diminui o caminho para registro de profissional regulamentado (P.Eng. para Engenheiros, por exemplo).

Mestrado: pontos negativos

– processo de seleção mais demorado e algumas vezes mais disputado.

– maior rigor em relação a requisitos mínimos para aplicação. São exigidas notas mais altas na graduação e nos exames de proficiência de idiomas.

Nota importante: lembre-se sempre de verificar se a instituição onde você vai estudar atende aos requisitos do governo. Isso vale tanto para a obtenção do PGWP, quanto para a aplicação ao PR depois de concluído o curso.

Foco no seu objetivo final

Isto tudo posto, posso finalizar dizendo: quer imigrar e não tem pontos suficientes para aplicar para o Express Entry diretamente? Então considere fazer um mestrado, principalmente se você já tem uma boa bagagem profissional. É engenheiro e quer continuar atuando na área no Canadá? Considere então 2x um mestrado, antes de decidir aplicar para um College. Não tire o foco do seu objetivo principal: IMIGRAR. Direcione sua estratégia tendo isso sempre em mente. Isso pode te poupar um bom esforço e evitar alguns percalços rumo ao seu PR.

 

E você? Veio para o Canadá estudar? Escolheu college ou mestrado? Por que? Conte pra gente!

Está no Brasil fazendo seu planejamento? Pretende vir estudar? Conte para nós quais variáveis você está considerando na sua decisão e diga-nos se este texto te ajudou a refletir.

Deixe seu comentário. Ele é muito valioso para nós e também para todos aqueles que lêem este post. 🙂

Obrigada a meu amigo Rafael Bessa, que conferiu a parte do texto referente ao P.Eng e deu sugestões. 😉

Andrea Zotelli

Written by Andrea Zotelli

Formada em Engenharia Civil, vim para o Canadá em busca de novos horizontes. Sou uma pessoa curiosa que adora ler, escrever e participar de debates sobre os mais variados temas. Minha imensa vontade de aprender e trocar experiências acabou me trazendo aqui para o Canada Agora.

6 Comentários

Deixe um Comentário
    • Oi Marcio! (respondi por email, mas segue aqui na página também).

      Obrigada pelo comentário. Infelizmente, não estou morando em Toronto atualmente. Me mudei pra Vancouver ano passado.

      Mas se você quiser, pode acompanhar o Drops do PoDeixar, live, 8pm de Toronto, todos os Domingos. Você pode fazer as perguntas e Berg e Masaru respondem no ar.

      Ou também pode mandar e-mail pra [email protected] que a gente responde.

      Abraço!

      Andrea

  1. A matéria está um pouco confusa e fiquei sem saber se vale mesmo a pena para um engenheiro fazer o mestrado aqui.

    Fazendo ou não, vai haver um período em que que ele vai forçosamente trabalhar como técnico até o registro com a Associação Profissional sair.

    E gostaria de fazer uma correção à matéria: os critérios para se registrar / atuar como engenheiro variam de província para província, daí falar de engenheiros “no Canadá” está incorreto.

    Tenho o caso concreto de um amigo, que não fez o mestrado, e passou cinco anos trabalhando como técnico em Ontário até o seu registro sair.

    Gostaria de ler o depoimento de alguém que tenha feito um mestrado aqui para saber se realmente ele minimizou o tempo de espera pelo registro.

    Obrigado.

    • Olá Kleber,

      Obrigada pelos comentários aqui e no FB.

      A respeito dos dados concretos: conheço alguns casos de pessoas que vieram fazer mestrado e foram dispensados de fazer as provas para atestar o conhecimento (as 3 provas que mencionei no texto).

      Um caso bem recente é de um um amigo que veio fazer o Master of Engineering na área de formaçao dele. O mestrado dele é de 2 anos, sem defesa de tese. Destes 2 anos, 8 meses são Coop (ou seja, 1 ano e 4 meses de curso de 8 meses de trabalho). Ele fez os 8 meses de coop e assim que recebeu o certificado de conclusão, ele deu entrada no EIT dele. Ele foi dispensado de fazer as provas exigidas pela associaçao de engenheiros, pq ele fez o mestrado aqui. Além disso, os 8 meses de coop serão contados como parte do período que ele precisa trabalhar como EIT.

      Como ele já tinha 5 anos de experiência como engenheiro no Brasil, ele só precisa trabalhar mais 4 meses para completar o período mínimo de 1 ano como EIT (as associações de engenheiros do Canadá pedem 4 anos como EIT, sendo que obrigatoriamente 1 ano tem que ser no Canadá).

      Fora isso tudo, meu amigo deu entrado direto no processo provincial para o PR, sem precisar de nenhuma job offer, porque ele veio fazer um mestrado. Já foi chamado pelo Provincial pra aplicar para a residência permanente dias depois de submeter a aplicacão.

      Ou seja: eu não tenho nenhuma dúvida de que vir fazer um mestrado encurta muito o caminha tanto para o PR, quando para o P.Eng, quando comparado a vir fazer um College (como eu fiz). No caso do P.Eng, o processo é individual para cada província, mas de forma geral, é tudo muito parecido.

      Sobre seu amigo trabalhar como técnico durante 5 anos aqui, pode ser que na época que ele fez, o processo fosse diferente. Pode ser que ele não tivesse experiência de trabalho no Brasil. (vc não menciounou isso). Se ele tinha experiência no Brasil, pode ser que não fosse algo que a associaçao daqui tenha contado como experiência. Pode ser tanta coisa…. É por isso que eu disse no texto: cada caso é um caso e cada aplicaçao ao P.Eng. é analisada individualmente.

      Outra coisa: quando me refiro a engenheiros virem para o Canadá, eu sei que o processo do P.Eng. não é federal, e sim, provincial. Mas as exigências são muito parecidas de uma província para a outra. Por isso me dei a licença de falar em *engenheiros vindo para o Canadá*. Vale no entanto sempre ressaltar que existe o Quebec, que tem processos diferentes do restante do país. No entanto, eu lembro que mesmo o processo pro P.Eng lá tem coisas bem parecidas com as demais províncias. Mesmo assim, recomende sempre verificar antes de assumir que o processo seja o mesmo em todos os lugares.

      Por exemplo: em Alberta vc tem que ser PR pra poder aplicar para o P.Eng. No entanto, isso não invalida o fato de que fazer o mestrado pode ajudar a eliminar a fase das provas. E mesmo que Alberta não tenha um stream voltado pra quem fez mestrado (não tenho essa info, não verifiquei), a província de British Columbia aceita aplicantes que tenham feito mestrado em qualquer província. Então, continua valendo a dica de: se vc fizer mestrado vai poder aplicar direto para o PR sem precisar de job offer.

      Obrigada pelo seu comentário. Planejo para breve um texto falando mais sobre o processo para obter o P.Eng. Caso tenha algo que ainda não esteja claro, acompanhe nossas publicações que em breve falarei de novo sobre o tema.

      Enquanto isso, vc pode ver esse vídeo do Bruno, do Canadá em Português. Ele é arquiteto, mora em Montreal e comentou sobre o processo de regulamentaçao da profissão. Apesar de ele falar sobre o processo no Quebec, vale a pena assistir, pq, como eu disse, este processo de profissão regulamentada é muito parecido entre províncias, com apenas pequenas variações.

      https://www.youtube.com/watch?v=_wqE4ElaMpI

      Abraço!

  2. Olá. Vou iniciar um mestrado em TI em Lisboa. Após concluir, pretendo aplicar para PR no Express Entry. O que você recomenda? Como é o processo de doutorado aí? Difícil de entrar? Já garante o PR?

    • Olá Cristiano,

      Obrigada pelo comentário.

      Infelizmente não tenho informações sobre doutorado. Sei que, assim como no mestrado, vc precisa ter notas altas no degree anterior e também no exame de proficiência do idioma local (francês se vc for pro Quebec).

      Da mesma forma que o mestrado, há processos provinciais em que vc pode aplicar para o PR assim que concluir o doutorado, sem precisar de job offer.

      O doutorado é considerado trabalho, pq a maior parte do tempo vc efetivamente trabalha na sua pesquisa. Então, o doutorado conta também como experiência canadense (há um stream no Express Entry para quem tem mais de 1 ano de trabalho no Canadá).

      Não existe nada que “garanta” o PR. Ha processos para os quais vcoê aplica. Cada caso é analisado individualmnte e vc pode receber o PR no final ou não. No entanto, claro que a imensa maioiria consegue, e é por isso que a gente vem e se prepara para aplicar. 🙂

      Abraço!

Deixe uma resposta