Quero imigrar para o Canadá. Por onde devo começar? Essa é uma das perguntas “top 3” quando falamos em imigração. Se você pesquisar, verá que existem diversos posts, canais no YouTube e podcasts, que tratam do assunto. Para facilitar, vou tentar compilar em um único texto os primeiros passos que julgo serem importantes.

Então, quais serão meus primeiros passos?

Bem, eu diria que o primeiríssimo passo é você estar muito certo de que é isso mesmo que você quer. Para isso, é importante se informar com publicações que falem também das dificuldades da imigração. Questione-se verdadeiramente. Não tente tapar o sol com a peneira, olhando somente para o lado positivo de imigrar. Isso irá lhe ajudar a se fortalecer para o processo de adaptação pelo qual você irá passar quando chegar aqui. Berg Lindo fez uma playlist chamada “Momento Lindo”, onde ele faz todos estes questionamentos. Recomendo que você assista como um guia para suas reflexões, começando no vídeo #1:

Podeixar – Playlist Momento Lindo

Algumas fontes de informação sobre o lado negativo são os textos e podcasts que publicamos aqui no Canadá Agora:

O glamour da vida do imigrante

Acorda, Alice! O Canadá não é o país das maravilhas!

PoDeixar #2.21 – O Lado Escuro da Imigração

PoDeixar #171 – O Canadá não é para você

Você está mesmo decidido que quer vir. Por onde começar?

Bom, isso vai depender muito da situação de cada um: pontuação no Express Entry, condição financeira, nível de inglês.

A melhor forma de você vir para o Canadá é como residente permanente, o famoso PR. Essa é a condição ideal: você já vem com um status que lhe permite ficar no país, sem ter que se preocupar em renovar visto. Além disso, seus gastos serão menores e você pode começar a trabalhar full time assim que chegar aqui.

Além do Express Entry, que é o processo federal de imigração, há os processos provinciais. Eu não vou entrar em detalhes sobre eles, porque essa não é minha função aqui. Para aprender sobre isso, será necessário que você pesquise na página de cada província sobre os processos provinciais.

Dentre todos os processos, o melhor e mais rápido é o Express Entry, o processo federal. Para saber se você tem chances de imigrar pelo Express Entry, faça a simulação no link abaixo:

Comprehensive Ranking System (CRS) tool: skilled immigrants (Express Entry)

Nota importante: se você deseja imigrar, seu inglês (ou francês) tem que estar num nível mínimo o suficiente para você fazer suas pesquisas no site do governo canadense. Caso ainda não esteja, talvez seja o caso de se dedicar um pouco mais ao estudo do idioma antes de pensar em imigrar.

Depois de simular sua pontuação, verifique a pontuação mínima dos que foram chamados nas últimas rodadas de convites emitidos pelo Governo canadense:

Express Entry rounds of invitations

O processo do EE está sendo processado em até 6 meses pelo governo canadense, em média. Isso significa que, se você receber o convite, antes mesmo de 1 ano da data da aplicação, você já poderá vir morar no Canadá como Residente Permanente.

Inglês: muito importante para o EE

Caso sua pontuação esteja muito baixa (comparada com os números das ultimas chamadas), verifique se é possível você aumentar sua nota. Muita gente consegue melhorar bastante a pontuação simplesmente estudando mais para os exames de proficiência e obtendo o tão almejado CLB 9.

E se eu não tiver pontuação suficiente para o EE?

No entanto, há pessoas que não conseguem pontuação para ser chamado pelo EE mesmo obtendo nota máxima nos exames de proficiência. Esse foi o meu caso. Mesmo tendo bastante experiência profissional, bom nível de inglês e pós-graduação, eu não consigo pontuar nem mesmo 400 pontos no EE, em função da minha idade (40+ anos). Nesse caso, uma alternativa pode ser vir estudar, com o objetivo de melhorar o seu perfil para uma possibilidade de imigração futura. Digo “possibilidade” porque não há garantia de nada. Sempre há um risco e é bom ter isso em mente. No entanto, a maioria dos casos que conheço dão certo: as pessoas vêm, estudam, fazem tudo direitinho e, ao final, conseguem aplicar para o PR.

Outra alternativa para quem não tem pontos suficientes no EE federal são os processos provinciais. Novamente, não falarei sobre eles, senão este post vira um livro… Sugiro que cada um faça sua pesquisa nos sites oficiais.

Se a sua alternativa é vir estudar

Se você resolver vir estudar, aí começa uma outra etapa de pesquisa: onde estudar, qual curso fazer? College, mestrado ou doutorado? Essa resposta é muito pessoal, cada tem seus desejos e objetivos. O College acaba sendo o caminho mais fácil, porque o processo de inscrição é mais rápido (exceção para alguns Colleges em Alberta, que podem ter processos seletivos mais longos). Mas não espere encontrar “facilidades” no seu curso só porque é um College (e não um Mestrado/Doutorado). College é bem difícil, muitas vezes não pelo conteúdo em si, mas pelo grande volume de trabalhos e provas. Prepare-se para isso. Algumas fontes de informação:

PoDeixar 144: Imigrar como estudante

A rotina de mamãe-estudante no Canadá

Eu diria que nesta etapa de definição do curso, primeiro você precisa escolher onde quer morar. Depois de decidir a cidade, comece a pesquisar os Colleges e Universidades locais. Aqui não há mágica: o seu melhor amigo para isso é o Google. Pesquise em inglês (ou francês), sempre. Coloque lá “Colleges Toronto” (isso é um exemplo apenas) e mande bala na pesquisa. Entre nos sites dos Colleges/Universidades e veja quais cursos são oferecidos. Pesquise também por reviews dos Colleges e veja quais as avalições dos mesmos. Essa etapa de pesquisa toma um tempo e energia lascados. E quem tem que fazer isso é você. Não tem outro jeito. Você pode participar de grupos no Facebook onde as pessoas se ajudam com opiniões diversas sobre o tema. No entanto, o grosso do trabalho será por sua conta mesmo.

Um grupo do qual participo e recomendo é a Área Vip do Canadá para Brasileiros no Facebook. Gosto do trabalho dos irmãos Prezia e a participar do grupo no Facebook foi bastante importante na minha preparação para imigrar. Aliás, até hoje participo e muitas vezes aprendo muitas coisas com os demais participantes e também com Caio e Guilherme Prezia.

E se eu quiser ir trabalhar no Canadá, em vez de estudar?

Vir para o Canadá com um emprego garantido é o desejo de todos. Infelizmente, isso não é tão simples assim. Conheço pouquíssimos casos de pessoas que conseguiram emprego no Canadá estando ainda no Brasil. E todos os que conheço eram ou da indústria aeronáutica ou da área de TI. Isso não quer dizer que todos as pessoas destas áreas consigam. Mas você pode tentar. Aliás, você pode levar as coisas em paralelo: tenho amigos que fizeram todo o processo para vir estudar e quando chegaram aqui, conseguiram um emprego e a empresa aceitou ser sponsor destas pessoas. Foi feita a aplicação para o visto de trabalho já em terras canadenses (com aprovação prévia do LMIA) e as pessoas puderam trabalhar sem ter que fazer o College.  No entanto, essa é a exceção, não a regra. Mesmo assim, tente.

Eu, como tinha experiência em aeronáutica, fiquei tentando arranjar emprego durante 1 ano antes de decidir vir para o Canadá estudar. Não consegui o emprego provavelmente porque eu estava fora do mercado aeronáutico já há 6 anos quando apliquei. Fora isso, a empresa canadense não estava fazendo mais processos com necessidade de LMIA, por ser demorado, trabalhoso e ter um alto custo para a empresa. Mesmo assim, encorajo todos a tentarem. Se não conseguirem o emprego, ao menos terão aprendido alguma coisa sobre o mercado de trabalho e sobre o Canadá.

Obtendo um OWP (Open Work Permit)

Um caso em que é possível conseguir um visto de trabalho aberto, sem a necessidade de passar pelo LMIA, é o do cônjuge de quem vem fazer um curso full time em um College público. Mesmo assim, a pessoa terá o visto de trabalho válido a partir da data do início do curso do cônjuge-estudante. Por isso, dificilmente a pessoa vai poder conseguir o emprego antes de vir para o Canadá.

Outra coisa que dificulta muito conseguir emprego no Canadá estando ainda no Brasil é que as empresas preferem entrevistar o candidato pessoalmente. Ou seja: até aqueles que moram em uma cidade no Canadá acabam tendo dificuldade em arranjar emprego em outra cidade. Imagine se você estiver morando em outro país…. (Abordei isso no post  “Job search: you’re doing wrong”).

E depois de decidir vir, seja com PR ou com visto de estudo, o que fazer?

A decisão de quando vender imóveis, carros, de quando se desfazer das suas coisas no Brasil e  pedir demissão do trabalho é muito pessoal. Depende da situação financeira de cada um e também de diversos outros fatores.

Caso você venha com o PR, há uma certa flexibilidade em relação a prazos. Depois que finalizado seu processo, você pode colocar sua casa à venda, pedir demissão do trabalho, fazer as despedidas e se organizar para vir, sem muita pressa.

Já quem vem com visto de estudos, costuma ter um prazo menor para organizar as coisas – e o ideal é que tudo esteja resolvido antes de você embarcar. Quanto a vender casa ou não, isso depende muito da condição financeira de cada um. Conheço pessoas que venderam casa para poder ter dinheiro suficiente para comprovação de fundos para aplicar para o visto. Vale lembrar que este dinheiro precisa estar em conta corrente no mínimo 3 meses antes de dar entrada no visto. Outros preferiram deixar os imóveis alugados no Brasil para ter uma fonte extra de renda. Alguns pretendem vender o imóvel futuramente caso precisem de mais dinheiro. Enfim, inúmeros cenários são possíveis.

Gastos além da conta

A vantagem de vender o imóvel antes de vir é que você vem com uma reserva financeira maior. Isso é bom porque aqui a gente sempre gasta muito mais do que imaginou. Sim, a gente gasta muito mais do que imaginou, mesmo que tenha caprichado nas previsões de gastos. Esteja preparado para isso.

Por outro lado, deixar tudo resolvido no Brasil antes de vir pode te poupar de inúmeras dores de cabeça futuras. Mesmo que você deixe procuração de plenos poderes com alguém para resolver seus assuntos no Brasil (aliás, isso é muito importante), você de alguma forma terá que resolver coisas à distância, e isso toma tempo e ocupa sua mente. Como aqui você já vai ter bastante coisas a resolver e com que se preocupar, deixar a vida resolvida no Brasil é bem melhor.

Estude Inglês

E, por último, dedique-se ao inglês. Permanentemente. Quando você chegar aqui você vai perceber que sabe menos inglês do que imaginou. Então, estude inglês (ou francês) paralelamente a tudo isso que você tem que resolver antes de vir. Estudar o idioma do lugar onde irá morar é sempre útil. Nós estamos em constante processo de aprendizado, mesmo quando se trata da nossa língua materna. Imagine então aquele idioma que é sua segunda língua! Por isso, estude – inglês ou francês. Você só tem a ganhar.

E você que já está no Canadá, tem alguma dica extra para completar o post? Conte-nos no seu comentário! E você que está no Brasil, com seus planos de imigrar, conte-nos como está se organizando para vir. Seu comentário pode ajudar muita gente! 🙂

Andrea Zotelli

Written by Andrea Zotelli

Formada em Engenharia Civil, vim para o Canadá em busca de novos horizontes. Sou uma pessoa curiosa que adora ler, escrever e participar de debates sobre os mais variados temas. Minha imensa vontade de aprender e trocar experiências acabou me trazendo aqui para o Canada Agora.

Deixe uma resposta