in

Minha timeline de imigração para o Canadá

timeline de imigração

Pessoal, hoje quero compartilhar com vocês uma excelente notícia. Depois de 5 anos e meio desde que decidimos imigrar e já quase quatro anos morando no Canadá, finalmente recebi a aprovação final do meu processo de residência permanente! Uma alegria imensa, depois de um longo processo que me fez ficar acostumada a “esperar uma resposta”. Vou fazer um resumo da minha timeline de imigração – mas não entenda mal: “Resumo” não significa que o texto será curto! Hahahaha. Prepare-se então para um textão. 😆

Decisão de sair do Brasil

Março de 2014: Eu e meu marido decidimos que queríamos sair do Brasil, depois da primeira viagem que eu fiz aos USA. Tinha umas milhas acumuladas no cartão de crédito e o único lugar fora do Brasil que dava pra eu ir com as milhas que eu tinha era Miami. Estava precisando comprar roupas pros pequenos e como a viagem sairia de graça, peguei e fui eu mesma, sozinha, com minhas usuais cara e coragem. Voltei decidida que queria sair do Brasil.

Quando fui conversar com o marido sobre a ideia, ele me contou que também estava pensando no assunto e que já havia até enviado e-mail para um amigo que estava trabalhando em Houston (TX), justamente com a ideia de também ir trabalhar lá. Ou seja, estávamos nós dois pensando no assunto ao mesmo tempo, hahahaha.

Muita pesquisa

O ano de 2014 foi um ano de pesquisas intensas sobre as possibilidades de imigração. Inicialmente, tentamos arranjar emprego nos USA durante mais ou menos 1 ano, mas nossas buscas não deram em nada. Paralelamente, ia estudando a possibilidade de imigrar para o Canadá. Muitos amigos meus já moravam aqui. Imigrar para o Canadá parecia ser mais “fácil”, pois o país já tem um programa de imigração há muitos anos. Além disso, é sabido que os canadenses são um povo gentil e mais receptivo aos imigrantes. Resolvemos, então, que o Canadá seria nosso destino.

Implantação do Express Entry

Outubro de 2014: estava preparando os documentos para mandar para imigração canadense quando vi que o governo canadense havia anunciado que lançaria o Express Entry em janeiro de 2015. A expectativa era que os processos fossem analisados em 6 meses. Resolvi então esperar para enviar meu processo pelo EE, para ser analisado mais rápido. No entanto, em….

Janeiro de 2015: descubro que meu perfil não era elegível pro EE. 🙁

Meu marido não tinha ainda atingido o nível de inglês pra obter uma boa nota no IELTS e o meu CLB era apenas intermediário. Além disso, nossa idade não ajudava na pontuação (tínhamos 40+ anos já…). Com isso, não passávamos nos critérios de elegibilidade. De toda forma, mesmo que eu tivesse mandado o processo em outubro de 2014, não ia adiantar muito: alguns amigos meus que já moravam/trabalhavam no Canadá e enviaram o processo naquela época, tiveram seus processos devolvidos e foram orientados a aplicar novamente pelo EE

O que fazer se você não é elegível?

Fevereiro de 2015: Se meu perfil não era elegível, qual era a solução? Foi aí que entrei para a Área Vip dos Irmãos Prezia. Participar do grupo da Área Vip no Facebook, assim como ter acesso a todo o material informativo exclusivo para assinantes foram fundamentais no meu planejamento e para colocar meu plano em prática. Estudei bastante o material disponível na área Vip e percebi que eu precisava ajustar o meu perfil para ter maiores chances de imigrar. Resolvi, então, estudar no Canadá. Sou muito grata por tudo que aprendi e por todo o suporte que recebi do grupo nos já mais de 4 anos de participação. Fiz muitos amigos lá e tenho hoje no Canadá uma grande network que é fundamental para o sucesso de qualquer plano de imigração. 🙂 🙂

Decisão: estudar no Canadá

Julho de 2015: depois de muita pesquisa, decido fazer um College em Ontario. Escolhi Civil Engineering Technician, curso de 2 anos no Seneca College em Toronto, com início em janeiro de 2016.

Outubro de 2015: chegada no Canadá, para poder me organizar antes de as aulas começarem.

Janeiro de 2016: início do College. Quem me conhece/acompanha aqui desde o início, sabe que vim sozinha com meus 2 filhos. Meu marido continuou trabalhando no Brasil para dar o suporte financeiro para que eu pudesse estudar aqui.

Abril de 2017: como eu iniciei as aulas do College na turma de janeiro, eu não tive direito a férias no verão de 2016. Com isso, meu curso de 2 anos foi feito em apenas 16 meses, terminando em abril de 2017. Meu marido veio então de mudança para o Canadá, se unir ao restante da família.

Maio de 2017: aplicação para o PGWP, que foi concedido com duração de 3 anos. Excelente! 😀 😀

Mudança de cidade

Agosto de 2017: resolvi mudar de Toronto para Vancouver, depois que prospecções me fizeram concluir que o mercado de trabalho estava mais acessível em Vancouver do que em Toronto, na minha área de atuação. Além disso, o processo provincial de BC aceitava (e aceita ainda) estudantes de outras províncias. Como o OINP (processo provincial de Ontario) estava fechado na época para estudantes internacionais e eu não sabia quando ia reabrir, achei que seria uma boa estratégia mudar para BC. E então o fizemos.

Setembro de 2017: começo a trabalhar como Project Coordinator em uma pequena construtora de Vancouver, apenas 5 semanas depois de ter começado a procurar emprego na área. Foi realmente mais rápido achar um emprego aqui do que estava sendo em Toronto. No entanto, isso não é regra, depende muito da área de cada um. Então, antes de se mudar, pesquise o mercado de trabalho na cidade pra onde você pretende ir.

Mais mudanças

Janeiro de 2018: troquei de emprego, porque acabei descobrindo que a empresa que eu trabalhava não se qualificava para o PNP-BC. (A empresa tinha 7 funcionários, no entanto, 3 deles eram donos da empresa e não faziam parte do payroll. Por isso, a empresa não atendia o requisito de “mínimo de 5 funcionários canadenses e/ou PR”).

A nova empresa e o novo emprego eram muito melhores que o primeiro, enfim, foi uma mudança muito positiva. O único problema é que comecei a trabalhar em regime de contrato de 1 ano e, por isso, de novo eu não qualificava para aplicar para o PNP 🙁 . Isso foi erro da recrutadora, que me disse desde o início que a vaga seria “permanente” e assim eu entendi que seria, até a hora de assinar o contrato. Óbvio que eu não quis recusar a job offer por causa disso. Afinal de contas, a empresa era excelente e eu sabia que seria questão de tempo pra conseguir passar a ser funcionário permanente.

Como previsto….

Abril de 2018: o Senior Vice President (SVP) do meu departamento me pergunta como estava meu processo de PR, e eu digo que estava parado porque eu não podia aplicar enquanto estivesse trabalhando sob contrato temporário. Ele ficou surpreso, pois não sabia que a vaga tinha que ser permanente para eu poder aplicar para o PR. Então, na mesma hora ele me disse: Leave that with me. I’ll sort it out for you.

Maio de 2018: Meu SVP me entrega a oferta para trabalhar como permanente! Alegria!!!! 🤩🤩🤩🤩🤩🤩. Além disso, me diz que vai me dar todo o suporte necessário para eu fazer meu PR. Serei eternamente grata a esse meu chefe, uma pessoa sensacional com quem tive o imenso prazer de trabalhar. Não só ele, mas a empresa como um todo é fantástica e me sinto privilegiada por poder fazer parte desse time. Enfim, oferta de trabalho permanente em mãos, precisava correr e deixar tudo pronto para aplicar para o EE (que não estava pronto ainda, porque eu achei que teria que esperar completar 1 ano de experiência canadense para poder submeter meu processo).

Junho de 2018: faço novo IELTS para o BC PNP, via EE. Consigo o desejado CLB 9! 😀 😀 (Com a ajuda da super Soraya Quirino, como já contei aqui nesse post.)

Outubro de 2018: criação do perfil no EE, para poder linkar com minha aplicação para o EE-BC.

Novembro de 2018: criação de perfil no BC PNP. Recebo aprovação da província 2 dias depois de submeter o perfil. 🤩🤩🤩🤩 Foi muito rápido. Acho que o fato de ser uma empresa de grande porte pode ter influenciado na rápida aprovação do meu perfil no PNP.

EE: Invitation to Apply!

28 de novembro 2018: recebo o ITA do EE, já que no dia 25 os 600 pontos da Provincial Nominee Letter foram somados ao meu perfil do EE.

09 de dezembro de 2018: documentação do EE submetida no dia 08, recebemos o AOR no dia 09. E agora é esperar. Fizemos os exames médicos logo em seguida, conforme instruções recebidas quando recebemos o ITA.

19 de janeiro de 2019: exames médicos passed. Normalmente, os exames médicos são atualizados uns 10 dias depois da consulta. Mas o nosso demorou uns 40 dias, e acredito que foi por causa dos feriados de final de ano.

Alegria, alegria, alegria!

16 de julho de 2019: Finalmente recebo o email do IRCC, avisando que farei uma entrevista no escritório da imigração. Caso eu seja aprovada na entrevista, receberei o COPR. Ansiedade! LOL A gente sabe que muito provavelmente vai dar tudo certo, mas ainda assim é uma entrevista né? Confirmação de PR somente depois que passar nessa etapa.

Ah, sim: é cada vez mais comum que uma entrevista seja agendada, em vez de solicitarem o envio dos passaportes. Nessa entrevista, eles vão confirmar alguns dados e suas datas de entrada e saída do Canadá. Podem esclarecer também algum ponto que não tenha ficado claro no seu processo, como vou contar logo abaixo.

O grande dia

25 de julho de 2019: Finalmente a entrevista! Perguntaram sobre meu trabalho no Brasil. Eu era autônoma nos últimos 5 anos e apresentei cartas de clientes, cópias de projetos, minha “business license” na Prefeitura de onde eu morava, para comprovar que eu estava atuando como Engenheira Civil autônoma. A oficial da imigração perguntou se meu trabalho neste período era full-time, porque isso afetava minha qualificação para o EE. Respondi que sim, pois meu trabalho era full time já que eu tinha que atender vários clientes e obras durante o dia, além de fazer os projetos. Ela falou que estava tudo certo então com minha aplicação, que só faltava esclarecer este ponto, porque os documentos que entreguei não especificavam horário de trabalho. E então ela disse: “Congratulations! You’re now a Permanent Resident of Canada!”. 🤩🤩🤩🤩

Ela também disse que meu PR seria enviado direto pra minha casa, e que não precisava fazer flag pole nem nada. Que era só aguardar o PR card, que seria entregue entre 2-4 semanas. Saímos de lá já com o COPR na mão. Gostei muito desse processo de entrevista, bem mais simples e mais rápido do que enviar passaportes pelo correio, que costuma demorar em torno de 1 mês entre envio e recebimento dos passaportes. E depois ainda tem quem fazer o landing na fronteira. Se você faz a entrevista, já resolve tudo de uma vez só no escritório do IRCC.

26 de julho do 2019: Meu processo no IRCC website é atualizado para “Approved”.

09 de agosto de 2019: os PR cards (4 no total) são todos entregues na minha casa! Exatamente 2 semanas depois da data da entrevista. 😀

Um longo processo

Foram quase 4 anos desde que cheguei ao Canadá até o dia que obtive meu PR. Foram 5 anos e meio desde o dia que decidimos sair do Brasil até que finalmente passamos a ter certeza de que realmente poderemos continuar no Canadá, como Residentes Permanentes. Confesso que, depois de tantos anos vivendo na incerteza, vivendo na espera de um projeto ser concluído, eu às vezes me pego pensando/planejando como se ainda estivesse esperando pela resposta de algo.

Eu fiquei acostumada a ter que esperar uma resposta! LOL. Mas aí, já no momento seguinte, eu me lembro: “Andrea, você agora é PR! Não precisa mais se preocupar se o emprego é NOC 0AB, se a empresa tem 5 ou 10 funcionários, se qualifica ou não para o EE, se tem que renovar vistos ou não. VOCÊ JÁ É PR!” E isso muda tudo. Você pode ter uma vida normal aqui, tranquila, sem se preocupar se vai ser obrigado a deixar o Canadá em algum determinado momento. Claro que ainda temos muito que fazer. Claro que sempre podemos precisar trocar de emprego, de casa, de cidade, etc. Mas é muito diferente ser PR e ser residente temporário. É muito diferente e é muito melhor! É peace of mind! 😀 😀 😀 😀

Não desista

Posso dizer pra vocês que ainda bem que não dei ouvidos à consultora de imigração que me falou que meu visto de estudo seria negado, quando fui aplicar em 2015. Ela falou que meu planejamento era sem pé-nem-cabeça, porque eu era profissional experiente e não faria sentido fazer um College. Que vir sozinha com meus filhos era mais absurdo ainda e que oficial nenhum ia aprovar meu processo…. (contei essa história no Podeixar #144).

Felizmente, pessoas que tentam nos desencorajar muitas vezes servem como combustível para lutarmos pela realização de nossos sonhos e desejos. E foi depois dessa balde de água fria que resolvi que era melhor fazer tudo sozinha. E é como temos feito desde então. Todos os vistos de estudo/trabalho, fizemos sozinhos. Todo nosso processo no BC PNP e EE, fizemos sozinhos. E apesar de termos dúvidas no caminho, sempre encontramos amigos que nos ajudaram e nos encorajaram. E nesse sentido, a minha participação em grupos com pessoas com o mesmo objetivo de imigrar para o Canadá foi fundamental. Por isso, sempre agradeço aos muitos amigos que fiz nessa jornada, inclusive ao Masaru e Berg que me convidaram pra particiar do Canadá Agora e do PoDeixar.

Rumo à Cidadania Canadense

Agora é anotar todas as viagens na tabela que o governo canadense manda pra gente, porque essa informação vai ser necessária quando eu for aplicar pra Citizenship. Espero que tenham gostado da minha timeline. E para aqueles que ainda estão na jornada, desejo força e fé. Vocês vão conseguir chegar lá! Daqui a pouco vai ser a vez de vocês compartilharem sua timeline. E quando sua vez chegar, manda uma mensagem pra gente! Vamos ficar muito felizes de poder compartilhar casos de sucesso com nossos leitores e ouvintes do Candá Agora 😀

Andrea Zotelli

Written by Andrea Zotelli

I love reading, writing and discussing ideas that can change people's life. I hold a Civil Engineering Bachelor's Degree from Brazil and a Civil Engineering Diploma from Seneca College. Yes, I love engineering, construction and urban planning. Continuous learning and growth are some of the reasons why I moved to Canada in 2015.