Escândalos da indústria canadense

Texto escrito pela autora Alicinha B. Veloso e publicado em 18 de Março de 2017 na comunidade do Facebook “Brasileiros em Montréal”

Escândalo nas indústrias alimentícias no Brasil e aqui no Canadá será que todos os produtos e alimentos vendidos aqui são confiáveis, quais os escândalos daqui?

Apenas 37% dos alimentos que consumimos aqui são produzidos no Canadá. Esta quantidade enorme de alimentos importados causa muita controvérsia. Além de não sabermos os riscos de contaminação dos alimentos o fato de importamos muito de países asiáticos em que existe trabalho infantil e quase escravo nos faz pensar em boicotar certos alimentos.

“É praticamente uma vergonha comprar destes países. Tudo é tão barato! Trabalhadores, geralmente crianças, são mal pagos e tem que dormir nas fábricas” diz o professor de marketing Normand Bourgault da Universidade do Québec.

“Se tirarmos as crianças desse meio, elas correm o risco de parar em um meio ainda pior, tal como a prostituição ou mesmo o crime” diz o professor de economia do trabalho Sylvain Dessy.

Muitos Canadenses preferem boicotar todo e qualquer produto produzido na China. Quando foi anunciado que os produtos de cozinha do famoso chefe Ricardo eram feitos na China, o desgosto foi enorme. Falaram que era vergonhoso e que estávamos perdendo o nosso orgulho no Québec.

45% das roupas que compramos no Canada são feitas na China e 35% em Bangladesh. Somente 2% das roupas são feitas no Canadá. Por isso tanto orgulho quando compramos uma roupa feita aqui!

Os produtos de limpeza e cosméticos vendidos aqui também contêm ingredientes perigosos para a saúde e meio ambiente. É o caso do Triclosan, presente em cremes, loções, desodorantes, shampoos, detergentes, etc. Os perfumes vendidos aqui contêm vários componentes químicos misteriosos que são tóxicos. Nem a marca Calvin Klein escapa.

Fraude alimentícia

A fraude alimentar existe e nós não estamos salvos deste risco. A maior multa dada à uma companhia canadense foi de 1.5 milhões. Uma companhia de Ontário vendia tomates mexicanos dizendo que eram canadenses.

O Canadá começou a fazer exame de DNA nos alimentos. Descobriu-se 36% dos alimentos testados continham um tipo de peixe diferente do indicado na embalagem. Vimos à alguns dias a noticia que o frango utilizado no Subway não é 100% frango.

Em 2008 falávamos de umas das piores crises alimentares no Canadá. A indústria Maple Leaf, em Ontário, fazia produtos para 20 marcas diferentes. Vários produtos estavam contaminados por Listeriose e acabou fazendo 12 mortos.

Em 2015 tentaram boicotar a Limodade Sealtest por conter óleo vegetal bromado (BVO), Tartrazine, B.H.A. A ingestão de BVO (presente em refrigerantes) pode causar problemas de toxicidade devido à presença de Bromo. Houve bafafá no facebook, mas nada comprovado que estes ingredientes eram tão maléficos assim, claro que só o fato de conter muito açúcar já é uma razão para evitar consumir esta limonada.

Escândalo do desperdício

Um dos grandes escândalos denunciados pelo programa de televisão “L’épicerie” é a quantidade de comida desperdiçada no Canadá. O desperdício equivale a 6 milhões de toneladas por ano!

Foi observado nos mercados de Saint-Leonard uma pratica muito comum de re-embalar produtos vencidos. Segundo a lei não é ilegal re-embalar alimentos e medicamentos, mas é ilegal enganar o consumidor. O proprietário do mercado é responsável por qualquer dano que o alimento ou medicamento possa causar.

Abuso com o meio ambiente

Outro escândalo foi o da Nestlé que estava ha vários meses extraindo água do solo canadense sem permissão. Houve muita indignação e boicote das garrafinhas de água Nestlé pelo fato da companhia pagar somente 15$/dia para usar água canadense e distribuir em milhões de garrafinhas pelo mundo a fora. Além de que no ano passado durante um período de seca na Colúmbia-Britânica, Nestlé continuou a extrair milhões de litros de água.

A polêmica do consumo de água de garrafinhas de tempo e outro vem a tona aqui. Mais de um bilhão de garrafinhas vão parar no lixo por ano causando muita poluição.

O jornal de Montréal fez uma lista com 50 alimentos a banir da nossa alimentação por não serem saudáveis.

Estou deixando a lista de alimentos não conformes, seja com presença de bactérias ou que o rotulo não indica a presença de certos ingredientes. Então se você é alérgico à algum tipo de alimento seria interessante olhar. Como é o caso das barras energéticas da marca SoLo GI distribuídas em todo Canadá e que contem a bactéria E. Coli. A mesma bactéria está presente também no produto Carb Not Beanit Butter da marca Dixie Diners’ Club.

Referências

Written by japa

japa

Engenheiro de software e co-fundador do PoDeixar. Mora no Canadá desde 2008 e é um apaixonado por viagens. Apesar do apelido, a última coisa que você vai imaginar olhando pra cara dele é que ele é japonês.