in , ,

Você acabou o College. Agora, prepare-se para o novo round

The Arrowhead High School class of 2013 throws their caps into the air in celebration at the end of their graduation ceremony. June 8th, 2013, Hartland, Wi.

Você acabou o College. Agora, prepare-se para o novo round

(Ou ainda: surpresas que você pode ter com seu Health Insurance)

 

Foram muitos meses, ou até anos, muito intensos e de muito estudo e dedicação. E, finalmente, você acabou seu curso no College ou até mesmo uma pós-graduação. Você esteve sempre muito ocupado, envolvido na rotina de trabalho e estudos, ou, como no meu caso, na rotina de estudante com dois filhos pequenos no Canadá. Foi um período difícil, de muito cansaço, tanto mental, quanto físico e emocional. Foi punk. Sim, é assim para todos nós. Nunca ninguém disse que seria fácil. Aliás, “fácil” é palavra que deve ser abolida do vocabulário de todo imigrante. Não existe nada fácil quando se decide emigrar para outro país. Mas, se estudar no Canadá é um desafio imenso, ao mesmo tempo, é também um período de muitas alegrias, muitas conquistas e também de amizades.

O College preenche a rotina da gente. Na verdade, mais do que preenche: ele toma conta, se espalha por todo o espaço de tempo disponível, como se fosse um gás. Não existe mais espaço para vida social. E aí quando você acaba, você se pergunta: “Terminei meu curso… e agora, o que fazer?” Agora é fazer muito! É correr atrás daquele emprego tão almejado, de preferência dentro dos NOCs 0, A ou B, para que você possa se qualificar para receber o ITA do Express Entry (caso você ainda não tenha a pontuação necessária).

 

A busca pelo emprego

E é aí nesta nova etapa, nesta busca pelo emprego, que você vai perceber que o jogo está só começando. Ainda há muito que se batalhar pela frente. Você vai perceber que a busca por um trabalho é, por si só, um full time job. Inúmeras vagas para aplicar na internet. Selecionar estas vagas, deixar o perfil “nos trinques” nas redes sociais profissionais (LinkedIn e outros sites como Indeed, Glassdoor), tudo isso dá trabalho. E nós que somos imigrantes, temos que aprender como se faz esta busca de trabalho aqui. Temos que aprender a formatar o Résumé dentro dos padrões canadenses. Temos que fazer nosso perfil profissional de acordo com as normas daqui. Temos que aprender a como nos prepararmos adequadamente para uma entrevista. E tudo isso em um idioma que não é nossa língua mãe.

No College, há um serviço de Career Advice que todo mundo deveria usar. Está lá à sua disposição e você já pagou por ele quando pagou a tuition. Então, não deixe de utilizar algo que é seu! Há todo o suporte para preparação de Résumé, Cover Letter e entrevistas. No meu College, por exemplo, além do serviço especializado na preparação para a busca de trabalho, podemos também contar com o suporte de professores. Sim, há vários professores que estão dispostos e dão excelentes aconselhamentos para que você prepare bem o seu Résumé. Eles também te ajudam a se preparar para as entrevistas, principalmente para vagas relacionadas às disciplinas que aquele professor ministra.

 

Conte com a ajuda dos professores

Lembre-se que o professor, principalmente do College, geralmente é um profissional com vasta experiência na Indústria. Ele sabe o que o mercado quer. Ele sabe o que o mercado valoriza e ele pode te ajudar. Mais até do que isso: ele pode te recomendar para vagas em empresas que ele conhece. Ou, ele pode ser uma referência para você, para as vagas que você aplicar. (Mas lembre-se sempre de perguntar para o professor antes se você pode mencioná-lo como referência em uma entrevista). Para nós, que viemos de fora e não temos uma rede de contatos aqui, fazer este networking e contar com a recomendação de professores é muito importante!

O tempo que você vai demorar para encontrar um trabalho depende de vários fatores. Um deles é o mercado de trabalho na sua área na região em que você mora. Essa, na verdade, é uma pesquisa que você deveria ter feito ainda no Brasil. Mas, caso não tenha feito, a hora é agora. E se você perceber que a cidade onde você mora não tem muitas ofertas de trabalho, aplique para outros lugares. Não se limite, não deixe de se dispor a ir onde o emprego está. Se você se limitar, sua espera pelo emprego na sua área pode demorar muitos meses, às vezes até anos (sim, já ouvi casos assim).

 

O primeiro emprego: qualquer um serve ou somente se for emprego na sua área?

Há pessoas que preferem pegar logo um emprego qualquer, em qualquer área de atuação, para poder começar a ter a experiência canadense (tão valorizada aqui). Claro, fatores financeiros também influenciam: muitas vezes, a pessoa tem que começar a trabalhar logo simplesmente porque precisa ter dinheiro para comer e pagar as contas. Há também pessoas que podem esperar um pouco mais e preferem fazê-los, porque querem começar a trabalhar diretamente na sua área de atuação. É uma opção. Neste caso, a pessoa precisa fazer o seu networking, para facilitar a recolocação no mercado de trabalho. Isso porque ficar muito tempo atrás de um novo trabalho é algo frustrante e pode levar até mesmo à depressão. Então, é preciso tentar equilibrar as coisas.

Se a recolocação começar a demorar muito a acontecer, talvez seja hora de parar e refletir: o que será que estou fazendo errado? Será que aqui onde moro há realmente demanda na minha área? Será que meu Résumé está adequado para as vagas que tenho aplicado? Será que minha Cover Letter está escrita de forma a despertar o interesse do recrutador? Será que preciso ir às empresas e me apresentar pessoalmente, demonstrando meu interesse em trabalhar lá? Até o momento, do que tenho visto e conversado com amigos, percebo que este “ir pessoalmente às empresas” faz muita diferença nos processos seletivos aqui.

Aplicar para o trabalho é então o seu primeiro passo depois de terminado o College. É com este trabalho que você vai se qualificar para aplicar para o Express Entry. (Aqui, de novo, falo dos casos como o meu, em que a pessoa não tem pontuação suficiente para receber o ITA sem ter experiência canadense ou sem ter, ao menos, uma job offer).

 

Abra a mente e amplie seus horizontes

Meu plano, inicialmente, é aplicar para vagas em Toronto, cidade que escolhi para morar. No entanto, como o stream International Student with a Job Offer do OINP (Ontario Immigrant Nominee Program) está temporariamente pausado, tenho olhado outros processos provinciais e, pensando nisso, vou fazer uma busca mais ampla por trabalho. Não há necessidade, no meu caso, de me prender a uma província específica. Por isso, vou soltar um pouco o leme do barco e ver onde é que ele vai parar. Até mesmo porque muitas vezes as melhores oportunidades podem surgir de onde menos esperamos.

E então, depois de ter conseguido arranjar um trabalho, aí sim podemos pensar num barco que segue o fluxo, que caminha mar adentro. Trabalhando, você vai ter praticamente a vida de um cidadão comum, que recebe seu salário, paga suas contas e pode contar com a cobertura do sistema de saúde do governo (refiro-me a Ontario, principalmente; sei que o sistema de saúde varia entre províncias). Depois de um tempo tralhando, você poderá receber o ITA para finalmente aplicar para o PR. Neste momento da minha vida, esta ainda é uma etapa distante. Talvez nem tanto, se eu puder aplicar para algum processo provincial assim que conseguir um emprego. Mas caso isso não seja possível, vou precisar somar ao menos 1 ano de experiência canadense para me qualificar para o processo federal.

 

Como fica o Health Insurance com o final do College?

E já que eu falei em “poder contar com a cobertura do sistema de saúde do governo” no parágrafo anterior, vamos falar de uma coisa que eu descobri recentemente e que foi uma surpresa para mim. Você terminou seu College e, com ele, acabou-se a vigência do Health Insurance. Isso não é regra geral, pois tenho amigos que estudaram em outra instituição e o Health Insurance deles é válido até 31 de agosto. No entanto, no meu College, só tivemos direito à cobertura até o dia 30 de abril. Por isso, acho válido mencionar o fato, para que as pessoas tomem conhecimento e verifiquem cada uma em que caso elas se enquadram.

Como eu sabia que meu Health Insurance ia vencer, fui atrás de uma alternativa. Fiquei surpresa ao descobrir que eu, por não ter OHIP (que é o Insurance Plan da província de Ontario), não posso contratar um Health Insurance privado. Vocês devem estar achando isso totalmente sem sentido. Pois é: eu também achei. Mas enfim, a realidade é essa, ao menos em Ontario.

Sendo assim, a única opção que me restou foi fazer um seguro-viagem. Por ter recém-concluído o College, eu me qualifico para a cobertura estudantil (que é maior e mais barata). Contratei meu seguro-viagem com a Andrea Britto, minha xará aqui no Canadá Agora. Tive a sorte de poder contar com o suporte de alguém que conheço e confio, o que me deu mais segurança na hora da contratação.

 

Em que situação pode acontecer de você não ter um Health Insurance

Isso que aconteceu comigo não vai ser regra para todos. Os casais que fizeram a imigração juntos, em que o cônjuge já trabalha full time, não terão este tipo de problema. Quem terá maior dificuldade serão os solteiros ou então pessoas que fizeram a imigração da família “por partes”, como eu (confira a explicação da minha situação aqui). Se você se encaixa em uma destas situações, fique atento às condições do seu seguro saúde quando suas aulas acabarem.

Caso precise, contrate um seguro-viagem até que você possa arrumar emprego e passe a ser elegível ao Health Insurance da província onde você mora. Não se arrisque a ficar sem uma cobertura de saúde morando em país estrangeiro. Pode ser que você não precise, pode ser que não lhe acontece nada. Mas, se algo acontecer e você vier a precisar de serviços médicos, os gastos podem ser absurdamente altos, podendo colocar em risco a continuidade do seu plano Canadá. Esse meu conselho parece jabá, mas não é não. E tenho um caso pessoal para exemplificar: minha filha precisou ser submetida a uma microcirurgia por conta uma simples picada de inseto que infeccionou. Isso num passeio que fizemos a Orlando, em 2014. Não fosse pelo seguro-viagem, a gente teria pago uma pequena fortuna pelos serviços do hospital. Nunca vi cento e poucos dólares pagos num seguro serem tão bem utilizados.

Fim do primeiro round – mas a luta continua

Quem vem estudar no Canadá sabe o quão grande é este desafio. O fato de você ser imigrante já é um desafio imenso por si só. Aí, você resolve jogar no modo extremely hard e então, além de ser imigrante, resolve ser também estudante. Tudo ao mesmo tempo agora, para lembrar a música dos Titãs.

Por ter sido tão difícil, tão intenso e tão desafiador, ao terminar o College a sensação de alívio, de dever cumprido e de vitória são muito especiais! Eu me dediquei demais o curso inteiro e, por isso, consegui manter todas as médias em A e A+. Meu GPA final de curso ficou em 4.0 (do total de 4.0) e isso me deixou muito feliz! Como aqui no Canadá o GPA é muito valorizado, eu acredito que esta minha conquista terá um impacto muito positivo na minha busca por um trabalho. Um bom GPA é tão importante que é comum que se coloque no seu perfil no LinkedIn e no seu Résumé que você se graduou com Honours ou High Honours, se for o caso.

A primeira etapa foi vencida, mas a luta não acabou. Esse foi só o primeiro round! Tome fôlego, junte forças, garra e determinação e siga em frente para vencer a luta! Seu prêmio no final vai ser a etiqueta de Permanent Resident colada no seu passaporte. 😀

E você? Veio para o Canadá estudar também? Já concluiu seu curso? Compartilhe com a gente suas experiências e impressões. E caso você esteja planejando vir, fale-nos sobre seus planos e quais são suas expectativas em relação aos estudos aqui.

 

Agradecimentos especiais ao meu amigo José Luís de Oliveira pela crítica e pelas sugestões, que ajudaram a abrir a torneira de ideias para que eu pudesse escrever este post. Valeu, Zé! 😉

Créditos da Imagem: http://thearrowhead.org/3473/showcase/what-to-wear-for-graduation/
Andrea Zotelli

Written by Andrea Zotelli

Formada em Engenharia Civil, vim para o Canadá em busca de novos horizontes. Sou uma pessoa curiosa que adora ler, escrever e participar de debates sobre os mais variados temas. Minha imensa vontade de aprender e trocar experiências acabou me trazendo aqui para o Canada Agora.