in

Como entrar na indústria de vídeo-games

A revista TheGeekCulture.com conseguiu entrevistar Matthew Wiazowski, chefe da equipe de recrutamento da Ubisoft Montreal, um dos maiores e mais ativos estúdios da indústria de vídeo-games da América do Norte. Montreal conta com mais de 2.400 funcionários, responsáveis por lançar títulos AAA dentro das estimativas de tempo previstas, sem sacrificar a qualidade.

O que os recrutadores procuram?

A palavra-chave é EXPERIÊNCIA. Em um meio onde cada vez mais programadores, produtos, designers e engenheiros são formados em cursos de graduação e/ou especialização, não é difícil imaginar o nível da concorrência. O mesmo podemos dizer sobre o mercado, constantemente em busca de pessoas com know-how e capazes de gerar resultados rapidamente sem precisar de longos períodos de formação e treinamento.

Alguém que trabalhou para uma grande empresa ou em um título de sucesso nem sempre é o que se procura. As contribuições dos candidatos são importantes do que os projetos propriamente dito. Existem exceções e tudo vai depender também se a vaga em questão faz alguma menção se o candidato deve cumprir algum desses critérios. É mesmo caso de se ter um mestrado ou doutorado; não é o nível de educação que conta, mas o que de fato foi feito. Ter trabalhado em um título que sem grandes resultados não significa algo ruim. Boas contribuições (tais como recursos interessantes ou inovações tecnológicas) mesmo em projetos menores são bem vistas pelos entrevistadores.

Outra característica procurada pelos recrutadores é a criatividade e paixão dos candidatos. Projetos pessoais relacionados à área são uma excelente maneira de demonstrar tais atributos. É o caso de ter participado em jogos independentes (indies), sem dúvida uma ótima forma demonstrar a dedicação.

O candidato ideal

Na Ubisoft Montreal a principal característica que os recrutadores buscam em um candidato é a atenção à qualidade dos jogos, pessoas que se dedicam para o sucesso dos projetos onde trabalham e de seu time como um todo. São essas pessoas que fazem parte do estúdio de Montréal, gente criativa, movida pela qualidade e totalmente motivados, orgulhosos por fazerem parte dessa empresa.

Vale lembrar que não existe uma fórmula mágica para entrar em uma empresa de jogos porque os perfis das pessoas, as vagas e as empresas são muito diferentes. O conselho de Wiazowski para entrar na Ubisoft Montréal é: “deixe seus sonhos e sua critividade guiá-lo, mas mantenha-se realista.” Trabalhar em uma empresa de jogos é viver essa realidade todas as horas do dia, então é bom não querer embarcar nessa só pelo dinheiro ou você não vai aguentar muito tempo. Ele continua dizendo: “fique por dentro do que acontece na indústria, tanto do ponto de vista do consumidor quanto do desenvolvedor e fundamente suas opiniões. E acima de tudo, mantenha sua vida profissional e seus contatos em dia.

Dicas

  • Revise seu currículo. Tenha certeza de que está enviando para o lugar certo e que sua apresentação está sendo feita para o lugar certo. Não caia no erro de usar o mesmo currículo para todos os lugares.
  • Organize seu currículo de maneira a destacar as principais contribuições que teve nos projetos onde trabalhou. Valorize a qualidade sobre a quantidade de informações.
  • Tenha um portfólio onde possa publicar mostrar seu trabalho. Sites pessoais, contribuir em projetos públicos hospedados em sites como Github são excelentes maneiras de mostrar seu trabalho.

A estrevista completa com Matthew Wiazowski você confere aqui.

O que você acha?

Masaru Hoshi

Written by Masaru Hoshi

A última coisa que você vai imaginar olhando pra cara dele é que ele é japonês. Engenheiro de software e co-fundador do Canada Agora. Mora no Canadá desde 2008 e é um apaixonado por viagens.

Comentários

Carregando...

0