in

#2.05 Canadá por quem não mora no Canadá: Toronto

Toronto é hoje a maior cidade do Canadá e capital da província de Ontário. Seu nome tem origem na palavra Mohawk “Tkaronto”, que significa “árvores que brotam da água” em referência às armadilhas feitas com galhos e gravetos e colocadas dentro lago para capturar peixes. A região pertencia aos índios da tribo Missisaga e foi comprada pela coroa inglesa e serviu para fundar o assentamento que um dia se tornaria a cidade de York e hoje Toronto.

Com uma população de quase 2,8 milhões de habitantes, tem mais gente morando em Toronto do que nas quatro províncias do atlântico combinadas, sendo a quinta cidade mais populosa da América do Norte e ponto central da Grand Toronto Area. A GTA, como é popularmente conhecida, é composta por cinco grandes regiões: York, Halton, Peel, Durham e Toronto, compreendendo 25 municipalidades, num total de 7,1 mil km2 entre as cidades de Burlington (à Oeste) e Clarington (à Leste).

Economia

Toronto é também a capital comercial do Canadá. Headquarter dos grandes bancos canadenses e sede de grandes bancos mundiais, indústrias automotivas e aeroespaciais, redes de telecomunicação, produtoras de jogos e de entretenimento em geral, Toronto movimenta mais de 150 bilhões de dólares canadenses por ano, cerca de 11% do PIB do Canadá, 50% dos quais gerados por empresas de bens e serviços que exportam seus produtos para todos os cantos do mundo (apesar do mundo ser redondo e não ter canto).

No Canadá, o custo para manter uma empresa é o menor entre os países do G7. Em Toronto isso não é muito diferente. As mais de 84.500 empresas da região contam com 1.4 milhões de funcionários, cerca de 1/6 da mão-de-obra do país, altamente capacitados e versados em diversos idiomas. Dentre as empresas, 11.500 são da área de tecnologia, empregando atualmente cerca 161.000 pessoas e gerando uma receita de 52.2 bilhões de dólares anualmente.

Cada vez mais exigente em termos de qualidade, o mercado de trabalho em Toronto é também um dos mais competitivos do país. A concorrência é observada mais fortemente no grupo entre 25 e 64 anos, once se concentra 60% da população. Seja na indústria, no comércio ou da prestação de serviços, em muitos casos não basta apenas ter um diploma universitário para comprovar sua capacidade, é preciso realmente comprovar sua competência com anos no mercado e na participação em projetos relevantes.

Apesar de ¼ da população do Canadá morar na região de Toronto e mesmo com a alta concorrência, ainda é possível observar a vagas abertas por meses para certas posições em função de não encontrar profissionais que se encaixem no que é exigido. Com todos esses fatores, não é de se espantar que a taxa de desemprego esteja em declínio nos últimos anos chegando ao patamar dos 8% no começo de 2013.

Construção

Existem hoje cerca de 151 prédios de alto e médio padrões sendo erguidos em Toronto[2], hoje considerada a cidade que mais cresce em termos de novas habitações na américa do norte.

Muitas pessoas chamam Toronto de uma “mini Nova York”. As semelhanças existem e as coincidências também. Não bastando o fato de um dia ter se chamado “York” também, quando levamos em conta o tamanho e o luxo dos arranha-céus construídos na cidade, isso começa a fazer sentido. Levando em conta apenas o número de prédios com mais de 50 andares, Nova York encabeça essa corrida. Mas se pegarmos o número de prédios com menos de 50 andares e multiplicarmos pelo número de andares, Toronto tem 4.430 andares em construção contra os 2.200 de Nova York, basicamente o dobro. Em termos de valores e apenas para dar uma idéia do nível dos investimentos, somente um grupo de condomínios em construção no centro da cidade tem valor estimado de 800 milhões de dólares.

Desde o começo do ano de 2013 a cidade de Toronto teve um total de $2.2 bilhões de dólares em novas construções residenciais iniciadas, mais do que a soma de todas as construções iniciadas nas 905 municipalidades da província de Ontario.

A título de curiosidade, a grande parte do mercado de construção civil é movida por empresas e funcionários de origem portuguesa.

Diversidade

A diversidade racial de Toronto é uma das características mais marcantes da cidade, observada por canadenses e estrangeiros. Citada recentemente como sendo potencialmente a primeira capital “pos-racial” do mundo[1], mais de 70% dos habitantes é nascido de uma relação entre pessoas vindas de mais de 40 países diferentes, incluindo o Brasil. Não é raro encontrar pessoas filhos de japoneses com escoceses, iranianos com coreanos, ingleses com mexicanos e por aí vai.

Em contraste a esse fenômeno de miscigenação, Toronto também é famosa por suas comunidades étnicas. Chinatown, Koreatown, Little Portugal, Little Italy, sem citar outras em geral menos conhecidas, são destino certo e de turistas e dos habitantes da cidade. Lá é possível se sentir em uma parte desses países, onde mesmo as placas dos estabelecimentos e das ruas estão na sua língua nativa. O prazer de encontrar um pastel de Belém quentinho, um raviolli de ricota que se desmancha na boa, deliciosos bombay jilebi, sem mencionar culinárias Yue, Chuan, Hui e muitas outras, todas preparadas seguindo a tradição, os costumes e com ingredientes vindos dos países de origem.

Educação

Toronto também um dos destinos preferidos das pessoas que buscam capacitação e especialização. Com quatro universidades, das quais a Universidade de Toronto faz parte como a melhor do país, a cidade conta também com quatro colleges que oferecem treinamento em todas as disciplinas e setores procurados. São mais de 15.000 pesquisadores trabalhando e lecionando nas áreas médica e biotecnologia, duas das melhores escolas de MBA da América do norte, excelentes programas de engenharia, ciência da computação e multimídia. Tudo isso suportado pela maior quantidade de escolas pós-secundárias do país.

Saúde

Toronto conta com 851 paramédicos através de 45 estações de atendimento por toda a cidade. Os serviços de emergências atendem em média 315 mil chamados anualmente. A cidade conta com 36 clínicas e centros hospitalares, em sua maioria afiliadas à Universidade de Toronto. Apesar disso, a realidade em termos de saúde na cidade não é muito diferente do resto do país. Até março de 2013, existem em média 2.000 ontarianos aguardando um leito em um hospital.

Transporte

O sistema de transporte de Toronto é o segundo maior da América do norte e o maior em termos de utilizador per capita do continente. Criada em 1921, a Toronto Transit Comission (TTC) possui mais de 2.700 trens, ônibus e bondinhos que fazem mais de 500 milhões de viagens anuais.

O sistema GO Transit faz interligação da GTA, fazendo o transporte de mais de 65 milhões de passageiros todos os anos. São 7 linhas de trens, 78 terminais, 7 estacionamentos gigantescos, 240 viagens de trens e 2.061 de ônibus, tudo isso para permitir que pessoas entre as cidades de Oshawa e Kitchener, possam se deslocar em uma uma área de 11 mil quilômetros quadrados, chegando até o norte de niagara falls e atendendo cerca de 251.000 pessoas em um dia de semana normal.

A Conferir

  • CN Tower: Construída em 1972 e com 553m a torre de Toronto é um excelente começo pra quem quer ter uma noção da cidade inteira. Além de ser ponto de difusão as maiores redes de rádio AM, FM e estações Wireless da cidade, a CN Tower é também um excelente ponto turístico que permite ao visitante chegar ao limite dos seus nervos. Seja andando pelo chão envidraçado ou se arriscando no Edge walk, onde você anda literalmente do lado de fora da torre seguro por apenas um cabo de aço, o passeio é indispensável pra quem visita a cidade pela primeira vez.
  • Casa Loma: Um dia residência de Sir. Henry Pellat, hoje a construção serve de cenário para vários filmes, inclusive X-Men (nerds amigos! Uni-vos!), além de ser palco de várias peças e apresentações de teatro, além de servir como local de recepção para eventos beneficentes, casamentos e festas corporativas. Os jardins do castelo são abertos durante o verão, o que permitem ao visitante vislumbrar o espaço exterior se sentindo em um pedaço da Toronto do início do século XX.
  • St. Lawrence Market: Se você é apaixonado por ingredientes frescos, frutas, verduras, especiarias, carnes, peixes, queijos, pães, ahh… Tô babando… Este é o seu lugar! Construído em 1803 e nomeado pela National Geographics como o melhor mercado de comidas do mundo além de ser um ponto de venda direto do produtor, o mercado também é palco de cursos e palestras sobre culinária e arte.
  • Toronto Islands: Localizadas logo em frente a Toronto, o conjunto de ilhas que tem o mesmo nome da cidade é um local ideal para aproveitar o verão e ter uma visão única da cidade. Com atividades para todas as idades, é possível passar o dia inteiro por lá e ainda ter o que fazer. Um refúgio a menos de 15 minutos do centro da cidade, as ilhas têm como atrações praias, o Gibraltar Point Lighthouse, o Franklin Children’s Garden, o Centreville Amusement Park e Far Enough Farm, sem falar num ambiente tranqüilo e relaxante.
  • Rogers Centre: “Lar” do Toronto Blue Jays, o maior time de baseball de Toronto e ponto certo de atrações com o Disney on Ice, Supercross, Monster Jam, e obviamente, jogos de baseball e futebol americano, o estádio foi o primeiro a ter teto retráteis, com 87 metros de altura e que se abrem e fecham em apenas 20 minutos.
  • Air Canada Centre: Se você é fã de esportes, visitar o Air Canada Centre é parada obrigatória. Lar do Toronto Maple Leaf, o maior time de Hockey os tempos (e meu lado fã foi mais forte do que os fatos, sorry!) e do Toronto Raptors. É lá que ocorrem os jogos da NHL e da NBA, sem falar em shows e turnês mundiais de artistas como Rush (ó meu lado fã de novo), Black Sabbath e Rollings Stones, entre outros menores (esse tal de Justin Bieber, please…).
  • The Path: Uma galeria de 28 quilômetros de lojas, restaurantes e diversos outros serviços, este é o The Path. Construído nos subterrâneos de Toronto e com 376 mil quilômetros quadrados, o número de estabelecimentos comerciais rivaliza o West Edmonton Mall, em Alberta, o maior shopping coberto do mundo. Mais de 50 prédios e condomínios são conectados por ele, além de 20 garagens e 5 cinco estações de metrô, compreendendo uma opção ideal para deslocar no centro da cidade mesmo em dias de muita neve.
  • Royal Ontario Museum: Sem dúvida um dos museus mais belos do mundo, o ROM possui exposições fixas e itinerantes e já recebeu convidados ilustres, como a coleção de Rembrand e Van Gogh, sem falar em várias peças da coleção egípcia do Louvre. Um local ideal para os amantes da história e das artes, recomendado inclusive para famílias graças à grande quantidade de atividades dedicadas às crianças.
  • Ontario Place: Construído às margens do lago Ontario, o complexo abriga inúmeras atrações que incluem a Marina de Toronto, o Echo Beach, um anfiteatro à beira do lago capaz de abrir mais de 5.000 pessoas, bem como o Molson’s Canadian Amphitheatre e o Atlantis, um luxuoso restaurante local de bailes e eventos de altíssimo nível.

Links

Ouça o programa

[0h02m29] Comentários e Recados
[0h17m21] Assunto da Semana
[1h10m52] Dica da Mar

O que você acha?

Podeixar

Written by Podeixar

O PoDeixar é o melhor programa sobre o dia-a-dia e a vida no Canadá em português. Criado por Masaru Hoshi e Lindoberg Gonçalves, dois brasileiros que vivem no Canadá e que adoram papo furado, o PoDeixar traz todas as semanas cultura, entretenimento, informação de maneira descontraída, agradável e irreverente, falando sobre assuntos variados sobre o dia-a-dia e a curiosidades da vida no Canadá.

Comentários

Carregando...

0