in

#2.06 O Canadá por quem não mora no Canadá: Waterloo

Foto por Brian Douglas http://bdouglasphotographyblog.blogspot.ca/2011/01/lang-tannery-my-opportunity-to-go-back.html

A região de Waterloo fica a cerca de 80 km à oeste de Toronto. Colonizada no início do século XIX por grupos de fazendeiros alemães menonitas vindos da Pensylvannia, a região foi transformada em 160 fazendas que ocupavam pouco mais de 3 hectares. A região acabou se tornando opção para muitos alemães vindos da Europa por conta da colonização. Eles fundaram várias comunidades, sendo a maior delas a cidade Berlin, que anos depois seria re-batizada como Kitchener por conta do sentimento anti-alemão do pós-guerra.

A cultura alemã era predominante na comunidade até o início do século XX, inclusive nas escolas, onde o alemão era ensinado como idioma oficial, e permanece fortemente enraizada nas celebrações da grande comunidade luterana, em especial na festa anual da Oktoberfest que acontece no mês de Outubro e que atrai anualmente milhares de visitantes de todos os cantos do país.

Com a reestruturação imposta pelo Governo de Ontario, 15 das vilas da região foram fundidas em 7 e assim foi criada a Região de Waterloo. Dessas sete, as cidades de Cambridge, Kitchener e Waterloo são as mais famosas e junto com as demais têm uma população de pouco mais de 550 mil habitantes, distribuídos em 1,368 mil km2.

Mesmo um século depois, ainda hoje podemos encontrar várias comunidades menonitas vivendo na área agrícola. Entre elas destacam-se as cidade de St Jacobs ao norte de Waterloo, famosa por sediar o maior mercado direto do produtor da América do Norte. E Linwood, onde ainda é possível visitar comunidades menonitas que vivem como há dois séculos atrás, inclusive utilizando carroças como meio de locomoção.

Economia

Apesar de ser originalmente agrícola, a região se desenvolveu muito desde o início do século XX, tornando-se hoje um grande pólo de pesquisa e desenvolvimento tecnológico. A chegada de grandes empresas aproveitando-se dos incentivos fiscais, a proximidade com Toronto e dos Estados Unidos, e a mão-de-obra altamente qualificada dos profissionais formados pelas universidades locais, trouxe junto centros de pesquisa e de desenvolvimento e centenas de novas empresas, permitindo o crescimento da região em mais de 30% na primeira década deste milênio.

Hoje com mais de 1.000 empresas de pesquisa e tecnologia que têm como focos as áreas de wireless, mídia digital, internet, bioinformática, pesquisa e desenvolvimento de hardware entre vários outros, a região é excelente para profissionais que buscam desenvolvimento pessoal e profissional. Apesar de abrigar centenas de start-ups a região conta também com grandes empresas mundiais como Google, Motorola, Toyota, McAffee e Blackberry.

Apesar do mercado tecnológico ser bastante forte, a região conta também com um grande número de pessoas trabalhando na área de seguros e finanças em empresas como a Manulife Financial, a Sun Life Financial e Desjardins Seguros.

Graças ao seu porte e à sua infra-estrutura, Waterloo é perfeita para pessoas que buscam um estilo de vida mais tranquilo e com mais qualidade. Cerca de 80% das pessoas trabalham a até 30 minutos da sua residência, tempo perfeito pra aproveitar os parques, shoppings centers, praticar um esporte, assistir a um show ou simplesmente curtir o seu hobby preferido.

Educação

Muito procurada por quem busca especialização ou formação em níveis universitários e técnicos, Waterloo conta também com quatro ótimas instituições: A Universidade Waterloo, uma das melhores do país, a Universidade Wilfrid Laurier, a Universidade de Guelph e o Connestoga College.

A região é a nona da província de Ontário em número de pessoas com nível pós-universitário. Mais de 180 mil pessoas terminaram o segundo grau e continuaram os estudos. Desses, 43 mil são bacharéis, 13 mil são mestres e outros 3.500 possuem doutorado.

População

Entre os anos de 2001 e 2006, Waterloo foi um dos 10 principais destinos dos imigrantes que chegavam ao Canadá e um dos 5 mais procurados da província de Ontario.

Além da forte influência alemã, Waterloo recebeu também um grande número de imigrantes vindos de outras partes da Europa, em especial de Portugal, cuja comunidade representava cerca de 1/3 da população de Cambridge há até cerca de 50 anos atrás. O ingles é idioma da maior parte das pessoas da região, ainda que cerca de 90 mil pessoas tenham outro idioma como língua mãe. ¼ da população vem de países da Ásia ou do leste europeu, enquanto outros 25% vêm da América do Sul, América Central, Caribe e África.

Atualmente com 534.000 habitantes, o suposto “Sylicon Valley” do Canadá é uma ótima opção para quem quer fugir das 4 grandes cidades do Canadá e ainda manter uma boa qualidade de vida.

Foto deste post: Brian Douglas

ExpoBrasil Montreal

559_10153386826540234_1780073194_n

Você não pode deixar de visitar a Expo Brasil 2013 de Montréal. Em sua 3a edição, o evento conta com comidas típicas, artesanatos, semi-jóias e muito mais! Além de diversas atrações para todas as idades.

Crianças têm direito a maquiagem infantil gratuita!

Data: Dia 24 de Novembro
Horário: 15h as 20 horas.
Local: Igreja Santa Cruz
Endereço: 60, Rachel Ouest, Montreal (QC)

Entrada gratuita!

Escute a chamada no programa desta semana aos [0h23m53s].

Links

Escute o programa

[0h02m52s] Comentários
[0h24m45s] Assunto Principal
[1h13m13s] Dicas da semana

Podeixar

Written by Podeixar

O PoDeixar é o melhor programa sobre o dia-a-dia e a vida no Canadá em português. Criado por Masaru Hoshi e Lindoberg Gonçalves, dois brasileiros que vivem no Canadá e que adoram papo furado, o PoDeixar traz todas as semanas cultura, entretenimento, informação de maneira descontraída, agradável e irreverente, falando sobre assuntos variados sobre o dia-a-dia e a curiosidades da vida no Canadá.

22 Comentários

Deixe um Comentário

    Deixe uma resposta